Cidade do México

Como chegamos

Voo do Rio de Janeiro (Galeão) para São Paulo (Guarulhos) e de lá para a Cidade do México.


Onde ficamos

Hotel Regente – París No. 9 – Delegación Cuauhtémoc, C.P. 06030 – Cidade de México – México
Faça sua reserva ou envie um email ou visite o site

Período: 4 dias / 3 noites (março de 2007)

Nossa avaliação: Ótimo hotel. Quarto muito bom para 2 pessoas, com TV e frigobar. Boa localização (no cruzamento da Reforma e Insurgentes avenidas com fácil acesso ao centro da Cidade do México).


O que fizemos

1º dia: Chegada à Cidade do México e passeio pela cidade

Chegamos na Cidade do México, despachamos as malas no hotel e fomos caminhar pelos arredores. Como estávamos perto, resolvemos caminhar por uma de suas principais avenidas, a Paseo de la Reforma. Esta bela avenida, que se estende por 12 Km, liga o Zócalo, onde se encontram o Palácio Nacional e a Catedral Metropolitana, ao Bosque de Chapultepec, com seu imponente Castelo. Ao longo desta encontramos diversos monumentos e esculturas em homenagem às pessoas e eventos da história do México e das Américas.

Fizemos um trajeto entre a Glorieta Angel de la Independencia, monumento que celebra a Independência do México, e o Zócalo (Plaza de la Constituición). Neste trecho normalmente acontecem as manifestações e protestos na cidade. Além dos já citados, conhecemos alguns monumentos/edificações ao longo do trajeto:  o Monumento à Cuauhtémoc (último imperador asteca), o Monumento à Cristovão Colombo (descobridor da América), a Câmara Nacional de Comércio, a Torre Caballito, o Monumento à Benito Juárez (ex-presidente mexicano no período 1858-1872), o Museo de Bellas Artes e a Casa dos Azulejos (século XVI).

Mexico - Cidade do Mexico - Zocalo - Plaza de la Constituicion - Catedral Metropolitana
Zócalo – Plaza de la Constituición – Catedral Metropolitana

Depois de sairmos do Zócalo, paramos para almoçar no restaurante San Borns, dentro da Casa dos Azulejos. Esta é uma bela construção do século XVIII. Aqui vale registrar uma situação inusitada: conhecendo a fama da cozinha mexicana, pedi um prato bem tradicional de frango, para não ter surpresa pois estava com fome. Já a Bete resolveu pedir “enchilhadas” com algum acompanhamento, só que ela não conseguiu comer nenhum pedaço pois estava pra lá de picante. A solução foi pedir para trocar o prato, o que foi feito com presteza e um leve sorriso no rosto da garçonete.

No caminho de volta para o hotel passamos pela Igreja de Santa Veracruz, localizada na praça de mesmo nome. Foi originalmente construída no século XVI (1586), pela Igreja San Juan de Dios, pelo Museo Franz Mayer (arte decorativa e desenho). Passamos também pelo Templo de San Hipólito, que é um dos centros de peregrinação religiosa mais importantes da Cidade do México.

2º dia: City Tour – Cidade do México e Museu Nacional de Antropologia

Pela manhã fomos fazer o City Tour pela Cidade do México. Começamos o passeio passando pela Alameda Central (primeira praça da cidade), que tem um belo coreto, fontes e estátuas, e que é frequentemente usado para eventos cívicos. Bem ao lado está o Palacio de Bellas Artes, com sua imponente arquitetura em mármore carrara e que abriga dois museus: o Museu de Bellas Artes e o de Arquitetura.

Seguindo o passeio fomos para a Plaza de la Constituición ou Zócalo que, além de ser parte do centro histórico, é o marco zero da cidade. Nesta praça estão alguns edifícios do governo, entre eles o Palácio Nacional, onde visitamos e conhecemos um mural com uma pintura de Diego Rivera, de 1925, que retrata boa parte da história mexicana. Na praça também visitamos a Catedral Metropolitana (1573), com suas esculturas sacras e que estava um pouco castigada devido aos terremotos ocorridos na cidade. Para finalizarmos este passeio, fomos para a Plaza de las 3 Culturas onde encontram-se exemplares das construções asteca, espanhola e mestiça, todos juntas.

Mexico - Cidade do Mexico - Palacio de Bellas Artes
Palacio de Bellas Artes

Após o city tour, fomos ao Museu Nacional de Antropologia. Este museu foi inaugurado em 1964, contém 23 salas e importantes peças arqueológicas e antropológicas das culturas pré-colombianas do México. Fica localizado dentro do Bosque Chapultepec, considerado o maior parque urbano da América Latina e onde também se estabelecem o Castelo de Chapultepec, o Zoológico de Chapultepec e o Parque de Diversões. Antes de entrarmos no museu passeamos até a Fonte de Tláloc, que tem uma escultura que mostra o deus asteca da chuva e da água em sua dança de fertilização.

Logo na entrada nos deparamos com uma grande estrutura em forma de guarda-chuva de onde cai uma cascata artificial. Em seguida fomos para a Sala Azteca ou Mexica, que é a sala mais representativa do museu, onde o guia nos deu valiosas informações sobre esta civilização enquanto admirávamos as diversas peças ali expostas; entre as principais estão a Pedra do Sol, um calendário solar esculpido num bloco de basalto de 24 toneladas e que é erroneamente confundida com o Calendário Maya, e o mural e a maquete de Tenochtitlán, considerada a capital do Império Asteca, hoje ocupada pela zona central da cidade. Após visitarmos esta sala o guia nos deixou livre para percorrermos o restante das salas à nossa maneira.

Mexico - Cidade do Mexico - Bosque de Chapultepec - Museo Nacional de Antropologia - Sala Azteca
Museo Nacional de Antropologia – Sala Azteca

As salas deste museu podem ser classificadas em arquelógicas e etnológicas. As salas arqueológicas são: Introdução à Antropologia (Sepultura Neandertal), Povoamento das Américas, Pré-Clássico Altiplano Central, Teotihuacán (Diosa Chalchiutlicue, objetos encontrados em Teotihuacán), Los Toltecas y su época (Atlante), Mexica ou Azteca (Piedra del Sol, Océlotl Cuauhxicalli, Coatlicue, Piedra de Tizoc), Culturas de Oaxaca (tumba 104 de Monte Albán), Culturas de la Costa del Golfo (Cabezas colosales da cultura Olmeca), Maya (Chac Mool, Disco de Chinkultik, Mascarón monumental, tesouros recuperados do Cenote Sagrado de Chichén Itzá), Culturas do Ocidente e Culturas do Norte. As salas etnológicas são: Pueblos Indios, El Gran Nayar, Puréecherio, Otopames, Sierra de Puebla, Oaxaca, Pueblos del Golfo do México, Mayas de las Montañas, Maya de la Planicie, Noroeste e Nahuas. Eu passei por todas elas, umas mais rapidamente, enquanto a Bete preferiu somente as principais.

Mexico - Cidade do Mexico - Bosque de Chapultepec - Museo Nacional de Antropologia - Sala Oaxaca
Museo Nacional de Antropologia – Sala Oaxaca
Mexico - Cidade do Mexico - Bosque de Chapultepec - Museo Nacional de Antropologia - Sala de las Culturas del Golfo
Museo Nacional de Antropologia – Sala de las Culturas del Golfo
Mexico - Cidade do Mexico - Bosque de Chapultepec - Museo Nacional de Antropologia - Sala Maya
Museo Nacional de Antropologia – Sala Maya
Mexico - Cidade do Mexico - Bosque de Chapultepec - Museo Nacional de Antropologia - Sala Teotihuacan
Museo Nacional de Antropologia – Sala Teotihuacán

Após sairmos do museu tentamos visitar o Castelo de Chapultepec mas estava fechado. Contudo do portão principal conseguimos observar o Monumento dos Niños Hérois, que homenageia um grupo de cadetes mortos na Batalha de Chapultepec. Ao retornarmos pelo Paseo de la Reforma passamos pela Fonte de Diana Cazadora.

Mexico - Cidade do Mexico - Bosque de Chapultepec - Monumento a los Ninos Heroes e Castillo
Bosque de Chapultepec – Monumento a los Niños Heroes e Castillo

3º dia: Santuário de Nossa Senhora de Guadalupe, Sítio Arqueológico de Teotihuacán e passeio pela Cidade do México

Pela manhã, fomos ao Santuário de Nossa Senhora de Guadalupe. Este é um santuário católico dedicado à Virgem de Guadalupe. É constituído de várias capelas e igrejas, sendo as principais as duas Basílicas de Nossa Senhora de Guadalupe: a Antiga (1531-1709) e a Nova (1974-1976). Lembro que a antiga estava muito castigada e em reforma.

Mexico - Cidade do Mexico - Basilica de Guadalupe
Basílica de Guadalupe

Continuando o passeio, fomos ao Sítio Arqueológico de Teotihuacán. Este sítio, localizado a 40 Km da Cidade do México, foi a maior cidade da época Pré-Colombiana na América. É conhecido como “A Cidade dos Deuses” e também como “A Cidade dos Mortos”. Como principais monumentos temos a Calzada de los Muertos, a Plaza de la Luna, a Pirâmide de la Luna, a Pirâmide del Sol,o Palácio de Quetzalpapálotl (A Borboleta Emplumada), o Palácio dos Jaguares, o Templo de Quetzalcóatl (A Serpente Emplumada) e La Ciudadela.

Mexico - Teotihuacan
Teotihuacán

Ao chegarmos fomos direto para uma área conhecida como zona de monumentos arqueológicos. Lá conhecemos alguns murais com pinturas teotihuacana e foi onde nos deram várias informações sobre esta civilização. Em seguida fomos para a parte mais interessante onde ficam os monumentos da antiga cidade. O guia nos deu algumas dicas e orientações iniciais e partimos para a Praça da Lua. Em seguida, subimos a Pirâmide da Lua, de onde se tinha uma bela vista do sítio.

Ao descermos, caminhamos ao longo da Calçada ou Rua dos Mortos visitando diversos palácios e monumentos. Dentre eles vale destacar o Palácio de Quetzalpapálotl e o Templo de Quetzalcóatl. Bem no final do nosso percurso chegamos à Pirâmide do Sol. Subimos nela e foi de onde tivemos uma noção da grandiosidade deste complexo arqueológico pois se localiza na parte central do sítio. Na saída paramos numa lojinha do local onde compramos duas estatuetas que representam o Sol e a Lua.

Mexico - Teotihuacan
Teotihuacán

Ao retornarmos à Cidade do México, resolvemos ficar no Zócalo pois ainda queríamos visitar o Templo Mayor. Um dos principais templos dos astecas na sua capital Tenochtitlán, é um sítio arqueológico situado próximo ao Zócalo. Ele também faz parte do Centro Histórico da Cidade do México. Como chegamos próximo do fechamento não entramos no sítio. Mesmo assim conseguimos ver boa parte dele caminhando pela rua ao redor. Saindo do Zócalo passamos pelo Templo de la Profesa. Oficialmente conhecido como Oratório de San Felipe Neri, este é um templo católico barroco do século XVIII.

Mexico - Cidade do Mexico - Templo Mayor
Templo Mayor

4º dia: Fim da estadia

Saída da Cidade do México para Mérida.


Dicas / Informações

  • Não deixe de ir ao Museu de Antropologia e nem à Teotihuacán, dois ícones da Cidade do México.
  • Se puder, fique mais dias na Cidade do México. Tire um dia só para caminhar na Paseo de la Reforma, do Zócalo ao Castelo de Chapultepec. Você entenderá melhor a história desta cidade.
  • A Virgem de Guadalupe é considerada a embaixadora das Américas e muito devotada na Cidade do México.
  • Dizem que o manto da Virgem de Guadalupe não é pintado, que a imagem apareceu como um milagre e que o material não se decompõe.
  • Chapolin é um tipo de gafanhoto que serve de alimento em certos lugares no México. Nos países que falam espanhol é conhecido como saltamontes.
  • Os mexicanos, principalmente os da Cidade do México, chamam os ricos de “fufuruchos”.
  • Todos os passeios estavam incluídos no pacote. A permissão para filmar no museu custou 35 pesos mexicanos (valor de março/2007).

Links úteis

Deixe uma resposta