Fernando de Noronha

Como chegamos

Voo da TAM do Rio de Janeiro para Recife, dormimos em Recife (1 noite) e no dia seguinte um voo de Recife para Fernando de Noronha pela Trip.


Onde ficamos

Pousada Santos (hospedagem domiciliar) – Fernando de Noronha – Brasil

Período: 6 dias / 5 noites (novembro de 2002)

Nossa avaliação: Pousada muito boa. Bom quarto e café da manhã. Eles serviram um peixe assado na folha da bananeira excepcional.


O que fizemos

1º dia: Chegada em Fernando de Noronha

Saímos do aeroporto de Fernando de Noronha e fomos deixar as malas na pousada. Neste dia, ficamos pelos arredores da pousada até à noite, quando fomos assistir à uma palestra sobre tartarugas marinhas no IBAMA.

2º dia: Caminhada Histórica por Fernando de Noronha e Passeio de Barco à Baía dos Golfinhos

Acordamos cedo para fazer uma caminhada que passava pelas principais construções de Fernando de Noronha. Começamos pelo Palácio São Miguel, localizado na Vila dos Remédios, que é a sede administrativa do Arquipélago de Fernando de Noronha. Neste lugar vale destacar um belo vitral do Arcanjo São Miguel. Em seguida, passamos pela Igreja Nossa Senhora dos Remédios, também localizada na Vila dos Remédios, que data de 1772 e é o principal templo católico do lugar.

Brasil - Fernando de Noronha - Palacio Sao Miguel
Palácio São Miguel

Seguimos então para o Forte Nossa Senhora dos Remédios de onde desfrutamos de uma vista panorâmica do arquipélago de Fernando de Noronha. Numa visão 360º, pudemos ver as Praias do Cachorro, Meio e Conceição, com o Morro do Pico ao fundo, a praia da Biboca, as Ilhas Secundárias e a Vila dos Remédios. Terminado o passeio, ficamos na Praia do Meio até dar a hora do almoço.

Brasil - Fernando de Noronha - Morro do Pico
Morro do Pico
Brasil - Fernando de Noronha - Vista do Forte
Vista do Forte

À tarde, fomos até o Porto de Santo Antonio para pegar um barco e fazer um passeio até a Baía dos Golfinhos. O trajeto começava próximo das Ilhas Secundárias e ia até a Ponta da Sapata. No passeio fomos admirando a bela costa da ilha, com suas belas praias. Passamos pelo Morro do Pico, pela Baía dos Porcos, onde encontra-se a famosa Ilha Dois Irmãos, até chegarmos ao ponto crucial: a Baía dos Golfinhos. Neste momento, fomos cercados por um grupo de golfinhos, para delírio das pessoas no barco que se encantaram com o seu balé.

Brasil - Fernando de Noronha - Ilha Dois Irmaos e Morro do Pico
Ilha Dois Irmãos e Morro do Pico

Chegamos na Ponta da Sapata. Este lugar tem um detalhe bem peculiar: no paredão formado por altos rochedos existe um buraco com a forma do mapa do Brasil. Começamos a voltar ao ponto de partida mas não sem antes pararmos para dar um mergulho na Baía do Sancho, que é uma das praias mais bonitas do Brasil. Ficamos ali por uma hora, até entardecer, nadando entre belos cardumes de peixes que se amontavam debaixo da embarcação. Passeio inesquecível !!!!

Brasil - Fernando de Noronha - Mergulho na Baia do Sancho
Mergulho na Baía do Sancho

3º dia: Fernando de Noronha – Ilha Tour

Este passeio de bugre que durou o dia inteiro, começou com uma rápida orientação do guia perto do Buraco da Raquel. Esta é uma formação rochosa cavada pelo mar na Enseada da Caieira e que fica bem em frente à Sela de Ginete, uma grande ilha que faz parte das Ilhas Secundárias. Mais adiante paramos para dar nosso primeiro mergulho, na Praia do Sancho.

Brasil - Fernando de Noronha - Baia do Sancho
Baía do Sancho

Descemos uma falésia enorme por uma escada de ferro dentro de uma fenda; que depois de alguns dias foi interditada para manutenção pois estava toda enferrujada. Depois descemos enormes degraus até a areia da praia. Lembro de uma situação inusitada: enquanto nos deliciávamos mergulhando entre pequenos cardumes de peixes e arraias, pequenos répteis chamados “mabuia”, desceram pela encosta da falésia e entraram nas bolsas atrás de alimento. Fernando de Noronha é cheia deles e após isso começamos a tomar mais cuidado com nossas coisas.

Brasil - Fernando de Noronha - Mergulho na Baia do Sancho
Mergulho na Baía do Sancho

Após o mergulho, seguimos por uma trilha na encosta da falésia até a Baía dos Porcos. Lá paramos para tirar fotos da Ilha Dois Irmãos e das pequenas piscinas naturais que se formam nas pedras desta praia. Continuando a caminhada, chegamos à Praia Cacimba do Padre, que é uma praia muito frequentada por surfistas e de onde se tem uma bela visão da Ilha Dois Irmãos.

Brasil - Fernando de Noronha - Ilha Dois Irmaos
Ilha Dois Irmãos
Brasil - Fernando de Noronha - Baia dos Porcos
Baía dos Porcos

Depois dessa caminhada, finalizada na Praia do Bode, retornamos ao bugre e fomos ao Mirante da Ponta do Air France. Deste mirante pudemos ver a divisão entre o mar de dentro e de fora, e também as Ilhas São José, Rasa e Sela Ginete. O nome vem do fato de, na década de 30, os franceses terem instalado ali uma base de apoio aos voos sobre o Oceano Atlântico.

Depois do almoço, pegamos o bugre e fomos para a Ponta das Caracas, situada entre a Praia do Leão e a Baía do Sueste. Este é um local de rara beleza, ideal para mergulho em suas piscinas naturais de pedras, na maré seca. A Praia do Leão é um reduto ecológico de Noronha de proteção das tartarugas marinhas, que desovam ali, e tem esse nome pela semelhança de um enorme rochedo com um leão marinho deitado, a Ilha do Morro do Leão. Ao seu lado uma outra pedra, a Ilha do Morro da Viuvinha é um santuário de aves.

Brasil - Fernando de Noronha - Ilha Morro do Leao
Ilha Morro do Leão

Depois de alguns minutos admirando tanta beleza natural, descemos na Praia do Sueste para um mergulho entre as tartarugas marinhas, que avistamos do mirante aos montes entrando pela baía.

Brasil - Fernando de Noronha - Mergulho na Baia do Sueste
Mergulho na Baía do Sueste

Saímos dali para ver o belíssimo pôr do sol no Forte de São Pedro de Boldró. Um passeio de um dia inteiro, um pouco cansativo, mas que também nos proporcionou momentos e cenas inesquecíveis.

Brasil - Fernando de Noronha - Por do Sol no Forte do Boldro
Pôr do Sol no Forte do Boldró

4º dia: Fernando de Noronha – Trilha à Praia do Atalaia

Neste dia fizemos uma trilha de dia inteiro até a Praia do Atalaia. A trilha Caieira-Atalaia, de aproximadamente 4,5 km e que dura 4 horas, sai da Enseada da Caieira e vai costeando a ilha pelo mar de Fora até chegar na Praia da Atalaia. Começamos a caminhada próximo ao Buraco da Raquel num mirante na Enseada da Caieira. Logo paramos para mergulhar em duas piscinas naturais na Enseada da Caieira. Eram piscinas em que a água batia na canela mas ao mergulhar parecia que você estava num aquário de tão transparente. Tinham pequenos peixes mas lembro de ter visto um linguado, que quando crescem ficam com os dois olhos do mesmo lado da cabeça, e um peixe, que não lembro o nome, que “adotou” o meu pé e não largava dele. A guia disse que essa era mesmo uma característica deste peixe.

Brasil - Fernando de Noronha - Trilha a Praia do Atalaia - Piscinas Naturais
Trilha à Praia do Atalaia – Piscinas Naturais

Depois do mergulho, subimos o Morro do Francês, com mais de 100 metros, até chegarmos na Pontinha e no Mirante da Pedra Alta. Lá de cima, já avistávamos a Pedra do Frade, que fica em frente à Praia do Atalaia. Mas aí que a “bicho” pegou: começou uma trilha entre árvores bem secas, parecia um deserto, onde fazia uma calor absurdo. Lembro que olhei para trás e vi a Bete derretendo naquele calor. Foram um dos 30 minutos mais longos que já presenciei.

Brasil - Fernando de Noronha - Trilha a Praia do Atalaia
Trilha à Praia do Atalaia

Enfim, após a trilha infernal, chegamos à Praia do Atalaia. A Praia da Atalaia encontra-se no Mar de Fora, na área do Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha. É a única praia da ilha que tem o acesso controlado pelo IBAMA. São permitidas apenas 100 pessoas por dia, divididos em 4 grupos de 25 pessoas, podendo permanecer por apenas 20 minutos na praia. A visitação acontece todos os dias com horário determinado pelo IBAMA, sempre na maré baixa. Trata-se de uma piscina natural, formada por uma bancada de corais onde pode-se encontrar quase todas as espécies locais. É considerada o berçário de Fernando de Noronha. Lembro que toda vez que tentava botar o pé na areia o guardinha do IBAMA apitava. Inesquecível aquela paisagem das piscinas naturais com a Pedra do Frade ao fundo.

Brasil - Fernando de Noronha - Praia do Atalaia
Praia do Atalaia

À noite, fomos mais uma vez assistir à uma palestra do IBAMA, que neste dia era sobre tubarões. Excelente palestra !!! Só que no dia seguinte tínhamos o batismo de mergulho, o que nos deixou com uma pulga atrás da orelha. Para acalmar, lembramos do que o instrutor disse: “…é mais fácil morrer com uma descarga elétrica de um raio do que mordido por tubarão…”; e aí achamos que não devíamos nos preocupar tanto.

5º dia: Fernando de Noronha – Batismo de mergulho e Baía do Sueste

Um dos dias mais esperados da viagem à Fernando de Noronha. Neste dia faríamos o batismo de mergulho de cilindro no Arquipélago de Fernando de Noronha. Acordamos cedo e fomos para o porto onde pegaríamos um barco para as Ilhas Secundárias. Chegando lá, fomos divididos em 2 grupos e ficamos no segundo grupo. O primeiro grupo desceu e ficamos observando o comportamento das pessoas. Comecei a ficar um pouco preocupado quando algumas delas, principalmente as mais jovens, ficavam nervosas e não conseguiam submergir para o mergulho. Tentei não pensar muito nisso.

Chegou a nossa vez !!! Vestimos a roupa, colocamos o cilindro, recebemos as últimas instruções e mergulhamos. Cada um foi para um canto do local de mergulho, cada qual acompanhado de um instrutor, e lembro de não ter visto para onde a Bete foi. Na primeira tentativa, comecei a descer e pedi para voltar um pouco assustado. O instrutor orientou para respirar pela boca e descer calmamente. Descemos aproximadamente uns 12 metros e começamos o passeio.

Lembro que respirava muito rápido, o que deve ter consumido uma boa parte do oxigênio do cilindro. Depois de uns 15 minutos, comecei a ficar mais relaxado e aí sim pude aproveitar melhor aquele inesquecível momento entre diversas espécies de peixes, dentre elas: moreias, arraias, reais, papagaios, entre outros. Junto com a gente desceram uma cinegrafista e uma fotógrafa que registraram o mergulho. Para minha sorte conseguiram tirar um foto minha com uma arraia. Lembro que quando saí do barco, após uns 40 minutos de mergulho, fiquei com a sensação de que lá embaixo era o meu lugar, de tanta paz e beleza. Uma experiência inesquecível !!!

Brasil - Fernando de Noronha - Batismo
Batismo
Brasil - Fernando de Noronha - Batismo
Batismo

Depois do almoço, fomos descansar um pouco na Baía do Sueste. Como estávamos bem cansados, ficamos aproximadamente uma hora sentados na praia só observando um grupo de gaivotas atacando um cardume de sardinhas bem próximo à areia. Logo em seguida, apareceu um tejú, um grande réptil endêmico da região, caminhando lentamente perto de nós. Após descansarmos bem, fizemos um mergulho livre com as tartarugas marinhas do lado direito da praia, onde elas ficam após entrarem pelo canal. Foram momentos maravilhosos até que fomos interrompidos por um grupo de paulistas que ao avistarem alguma tartaruga gritavam: ” …olha fulano, aqui tem uma…”; bom nesta hora não tinha mais; mas deu para aproveitar bem e até tirar algumas fotos.

Brasil - Fernando de Noronha - Mergulho na Baia do Sueste
Mergulho na Baía do Sueste

6º dia: Fernando de Noronha – Trilha à Baía dos Golfinhos

No nosso último dia em Fernando de Noronha, acordamos às 4 horas da manhã. Este foi o horário determinado pelo guia para nosso último passeio na ilha: ver o show dos golfinhos rotadores. O acesso ao Mirante dos Golfinhos, ponto de contemplação da Baía dos Golfinhos, é feito por uma trilha de 1 km, a partir do estacionamento da Baía do Sancho. A continuação da trilha dos Golfinhos à Baía do Sancho, possibilita a observação dos ninhais de aves marinhas das encostas das baías.

No Mirante dos Golfinhos, estes são observados de 55 metros acima do nível do mar e a uma distância de 100 a 500 metros. Quanto mais cedo da manhã, melhor para visitação. Das 5:30 às 8 horas observa-se a chegada e a organização (por meio de saltos) dos golfinhos na enseada. Foram aproximadamente duas horas e meia observando aquele espetáculo maravilhoso e recebendo informações dos pesquisadores do Projeto Golfinho Rotador. Eles ajudam os visitantes a compreender o comportamento dos rotadores e a importância da Baía dos Golfinhos.

Brasil - Fernando de Noronha - Baia dos Golfinhos
Baía dos Golfinhos

Saída de Fernando de Noronha para Praia do Forte


Dicas / Informações

  • Não deixar de assistir às palestras noturnas do IBAMA. Fomos todos os dias.
  • Não deixar de comer um peixe assado na folha de bananeira quando estiver em Fernando de Noronha.
  • Nesta viagem para Fernando de Noronha cada um levou sua máscara de mergulho, snorkel e pé-de-pato.
  • Existe uma Taxa de Preservação Ambiental que é cobrada por dia de hospedagem em Fernando de Noronha.
  • A Caminhada Histórica estava incluída no pacote.

Links úteis

Locais Informações (valores de novembro/2002)
Baía dos Golfinhos Preço: R$ 50,00 (passeio de barco)
Ilha Tour Preço: R$ 45,00 (sem almoço)
Trilha à Praia do Atalaia Preço: R$ 20,00
Batismo de mergulho Agência de Turismo: Águas Claras
Preço: R$ 162,00 (aluguel: máquina fotográfica – R$ 50,00, kit básico+colete+regulador – R$ 10,00, foto – R$ 30,00)
Trilha à Baía dos Golfinhos Preço: R$ 20,00
Taxa de Preservação Ambiental Preço: R$ 21,00  (por dia)

Deixe uma resposta