Torres del Paine

Como chegamos

Chegamos ao PN Torres del Paine vindos de carro de Puerto Natales. Tivemos várias surpresas pelo caminho. Logo no início, soubemos que a Ruta 9 estava com um trecho interditado. Enfrentamos um pequeno trecho de rípio e logo estávamos de novo na Ruta 9.  Estrada muito boa mas com pouca sinalização para o parque. De acordo com o mapa, poderíamos pegar um caminho mais curto, pela Ruta Y-290, e foi o que fizemos. Alguns quilômetros depois encontramos dois homens observando um carcará devorando uma carcaça de uma espécie de lebre. Claro que paramos também, ficamos eu de um lado, tirando fotos, e a Bete do outro, filmando. Muito legal poder ver a vida animal assim, me senti no Discovery Channel.

Chile - Estrada Puerto Natales-Torres del Paine
Estrada Puerto Natales-Torres del Paine

Seguimos em frente até a Cueva del Milodón, que tínhamos a intenção de visitar neste dia. Chegando lá pedimos informação sobre a estrada ao guarda, que foi bem bacana. Ele nos disse que, de fato, a estrada estava fechada para obras e nos deu várias orientações sobre como chegar ao nosso destino. Desistimos da visita pois tivemos que voltar para a Ruta 9, uns 20 km, e depois teríamos mais 134 km até o parque. Conclusão: ao invés de 80 km pelo caminho mais curto (Ruta Y-290), até a Portaria Serrano, percorremos 150 km (Ruta Y-156) para entrarmos pela Portaria Sarmiento.


Onde ficamos

Hotel Rio Serrano – Villa Serrano – Torres del Paine – Patagônia – Chile
Faça sua reserva ou envie um email ou visite o site

Período: 4 dias / 3 noites (março de 2013)

Nossa avaliação: Excelente hotel. Quarto muito bom, com boa cama, TV e frigobar. Café da manhã excelente. Boa localização (próximo da entrada mais próxima de Puerto Natales mas um pouco longe das principais atrações do PN Torres del Paine).


O que fizemos

1º dia: Chegada ao PN Torres del Paine (pela Portaria Sarmiento)

O Parque Nacional Torres del Paine é um parque chileno localizado na Região de Magalhães, ao sul da Patagônia chilena. É considerado um dos parques mais impressionantes do planeta e um dos lugares prediletos dos amantes da natureza. Foi declarado Reserva da Biosfera pela UNESCO, em 1978. Logo percebemos que esta viagem seria repleta de surpresas, e também inesquecível, quando fomos recepcionados por um rebanho de guanacos e por filhotes de cachorros-do-mato mesmo antes de entrarmos em Torres del Paine pela Portaria Sarmiento.

Chile - Parque Nacional Torres del Paine - Estrada Portaria Sarmiento
Parque Nacional Torres del Paine – Estrada Portaria Sarmiento

A paisagem composta pelas famosas Torres del Paine, formações gigantes de granito que dão nome ao parque, e os não menos conhecidos Cuernos del Paine, as montanhas com e sem neve agregadas à imponência do Maciço Paine, lagos, rios, cascatas e glaciares, estão em perfeita harmonia no parque. Não tem como descrever…é surpreendente a imensidão e a beleza.

Chile - Parque Nacional Torres del Paine - Portaria Sarmiento
Portaria Sarmiento

Chegamos por volta do meio-dia e o tempo estava um pouco encoberto em Torres del Paine, mas logo que entramos no parque o tempo começou a melhorar. Passamos pelo Lago Sarmiento, que tem o seu contorno esbranquiçado devido aos sedimentos das águas do degelo (carbonato de cálcio) e sua água tem vários tons de azul, muito extenso (22 km) e bonito. Mais alguns metros e chegamos num ponto da estrada em que tínhamos que decidir entre continuar conhecendo o parque ou ir no caminho em direção ao Rio Serrano, onde fica nosso hotel. Decidimos ir até a Hostería Las Torres, que fica na direção na Portaria Laguna Amarga. A estrada é longa e o rípio bem pesado. Como estávamos num carro baixo, começamos a ficar preocupados mas sem desistir da aventura.

No caminho passamos pelas Lagunas Larga e Redonda e, depois de uma curva e outra…epa!!! Dois guanacos cruzaram a estrada correndo bem na frente do nosso carro…foi um baita susto !!! Continuamos pela estrada de rípio até passarmos pela Laguna Los Cisnes, onde vimos cisnes negros deslizando em suas águas. Em seguida, passamos por um mirante de onde se via uma extensa estepe e um numeroso rebanho de guanacos. Ao longo do caminho, aproveitamos para admirar a fascinante paisagem ao longo do Rio Paine. É impossível parar de tirar fotos !!!

Chile - Parque Nacional Torres del Paine - Laguna Larga
Laguna Larga
Chile - Parque Nacional Torres del Paine
Parque Nacional Torres del Paine
Chile - Parque Nacional Torres del Paine - Rio Paine
Rio Paine

Chegamos na Portaria Laguna Amarga e encontramos uma charmosa ponte de madeira onde cruzamos o Rio Paine e, alguns minutos depois, chegamos à Hostería Las Torres. Neste lugar começam várias trilhas do PN Torres del Paine e ali vimos alguns campings e refúgios, bem legais e estruturados, coisa de primeiro mundo. Não fizemos nada além de apreciar a paisagem pois com o horário avançado não daria tempo para fazer nenhuma trilha.

Chile - Parque Nacional Torres del Paine - Maciço Paine
Maciço Paine

Voltamos em direção à portaria Laguna Amarga quando, no meio do caminho, dois mochileiros pediram carona. Era um casal de americanos, do Colorado, que estavam indo em direção à portaria. Eles disseram que estavam há cinco dias dentro do PN Torres del Paine, que estavam cansados mas que amaram tudo. Retomamos a estrada rumo ao nosso hotel mas sem antes parar no Mirador del Nordernskjöld. Ali paramos para admirar uma das paisagens mais lindas até o momento: o Lago Nordernskjöld com o Maciço Paine ao fundo. Os paredões com glaciares e neve permanente impressionam pelo tamanho e proximidade. O lago com seus tons de azul e verde é de uma beleza incrível.

Chile - Parque Nacional Torres del Paine - Lago Nordernskjold
Lago Nordernskjöld

Seguindo, passamos pelas Lagunas Mellizas em direção ao Salto Grande. No caminho passamos por uma base de onde saem passeios de barco pelo Lago Pehoé. Deixamos o carro num estacionamento próximo e andamos uns 500 metros até chegarmos no Salto Grande. Esta imponente queda d’água liga o Lago Nordernskjöld ao Lago Pehoé. No mirante tinha uma placa que dizia “Cuidado!!! Ventos Fortes”, e eram muito fortes mesmo, tivemos a impressão de que o vento nos carregaria se abríssemos os braços. Ali descobrimos que existe uma trilha de 1 hora e meia até o Mirador Los Cuernos, mas infelizmente não fizemos…vontade não faltava, mas o frio e o vento falaram mais alto. Difícil saber para onde olhar, se para o belíssimo Salto Grande, se para o azul do Lago Pehoé ou se para o imponente Maciço Paine.

Chile - Parque Nacional Torres del Paine - Laguna Las Mellizas
Laguna Las Mellizas
Chile - Parque Nacional Torres del Paine - Lago Pehoe
Lago Pehoé
Chile - Parque Nacional Torres del Paine - Salto Grande
Salto Grande

Saindo dali, voltamos para a estrada mas paramos logo em seguida no Mirador Pehoé para apreciar o Lago Pehoé. É um visual deslumbrante onde encontra-se a Hostería Pehoé, que fica numa pequena ilha no meio do lago e que tem acesso por uma ponte, e ao fundo o Maciço Paine e o Salto Grande.

Chile - Parque Nacional Torres del Paine - Mirador Condor - Lago Pehoe
Mirador Cóndor – Lago Pehoé

Voltamos para a estrada, percorremos mais alguns metros e resolvemos parar para conhecer o Salto Chico. Esta pequena queda d’água, bem menor que o Salto Grande, liga o Lago Pehoé ao Rio Paine. O Hotel Explora fica bem ao lado dele e tem um visual privilegiado. Andamos por um caminho feito em madeira, bem panorâmico e com um visual bem bonito.

Chile - Parque Nacional Torres del Paine - Salto Chico
Salto Chico

Voltamos para a estrada rumo ao nosso hotel. Chegamos na Portaria Rio Serrano e saímos do parque, pois nosso hotel fica muito próximo mas do lado de fora. Como a estrada estava fechada, ainda tivemos que pedir para passar pela obra pois era o único caminho para o hotel. Antes de chegarmos, ainda paramos num mirante de onde se tem uma belíssima vista panorâmica da Villa Serrano, lugar onde fica nosso hotel. Um lugar lindo. Um vale com lagos, montanhas nevadas e onde o Rio Grey encontra o Rio Serrano.

Chile - Parque Nacional Torres del Paine - Villa Serrano
Villa Serrano

Chegamos enfim ao Hotel Rio Serrano, onde fomos bem recebidos com pisco sour num brinde de boas vindas. Hora de descansar que o dia seguinte também seria de muita aventura, não sem antes apreciar a vista do hotel, de onde pudemos ver o Maciço Paine através dos vidros da recepção e de seus lounges.

Chile - Parque Nacional Torres del Paine - Villa Serrano
Villa Serrano

2º dia: PN Torres del Paine: Visita à Administração CONAF e caminhada pela Villa Serrano

O dia amanheceu muito nublado no PN Torres del Paine mas mesmo assim fomos até a Hostería Lago Grey, já que tínhamos reservado uma navegação no Lago Grey para este dia. O passeio era à tarde mas fomos mais cedo para ver o que poderíamos fazer por lá, já que perto deste hotel partem trilhas para o Mirador Ferrier e para o Mirador Zapata. Mas não demos sorte…no caminho, que é muito bonito mas com um rípio muito pesado, começou a chover e ventar muito forte.

Chegando ao hotel, fomos informados que a navegação das 12:00 hs havia sido cancelada devido aos fortes ventos e que iriam confirmar a navegação das 15:00 hs, que era a da nossa reserva. Ficamos por ali aguardando até que notei um quadro que mostrava informações do clima da região, por hora e em várias cores, da mais clara para a mais escura, e naquele momento estava com a cor “roxa”; e com isso tomamos uma decisão: como a chuva e o vento forte não cessavam, resolvemos transferir o passeio para o dia seguinte. Antes pegarmos o carro rumo ao nosso hotel, caminhamos até uma ponte que cruza o Rio Grey e que leva ao lago de mesmo nome. Era uma ponte pênsil, com capacidade máxima para 6 pessoas, que com a força do vento balançava de um lado para o outro com tanta força que até desistimos de atravessá-la.

Chile - Parque Nacional Torres del Paine - Rio Grey
Rio Grey

Retornamos em direção ao hotel sem antes pararmos na Administração CONAF, que é a sede administrativa do parque e que também funciona como um pequeno museu, onde pode-se ver uma maquete do parque como também algumas palestras sobre a geologia, a fauna e a flora da região. Um lugar bem legal onde encontramos vários mochileiros que aguardavam o transporte do parque. Aproveitamos o mau tempo para ver com calma as informações e assistir um filme muito interessante sobre a fauna do parque, principalmente sobre os pumas, e em particular sobre uma puma chamada Antonia.

Chile - Torres del Paine - Administracao CONAF
Administração CONAF

Regressamos ao Hotel Rio Serrano e quando a chuva parou, perto das 16:00 hs, aproveitamos para conhecer os arredores do hotel, na Villa Serrano. Caminhamos até a margem do Rio Serrano onde algumas pessoas estavam pescando. No caminho encontramos muitos cavalos e a Bete fez “amizade” com alguns deles. Como eram meio selvagens, foi mais complicado ganhar a confiança e se aproximar, mas no fim deu certo. Ficamos de bobeira o restante do dia e aproveitamos para descansar e curtir o hotel e arredores.

Chile - Torres del Paine - Villa Serrano
Villa Serrano

3º dia: PN Torres del Paine: Trilha ao Mirador Los Cuervos e Navegação no Lago Grey até o Glaciar Grey

O dia amanheceu com céu azul, bem diferente do céu cinzento e carregado do dia anterior. Saímos do hotel cedo e fomos passear pelo parque, tirar mais fotos pois com certeza precisávamos registrar tão belas paisagens num dia tão perfeito. Como o parque é conhecido por suas trilhas, resolvemos que faríamos pelo menos uma; pensamos em fazer a que leva até o Mirador Lago Toro, só que é muito extensa, e foi quando lembramos daquela que desistimos no primeiro dia: a do Mirador Los Cuernos, perto do Salto Grande, só que não podíamos demorar muito pois tínhamos reservado a navegação no Lago Grey para às 13:00hs.

Chegamos no Salto Grande, e como era bem cedo, só tínhamos nós dois lá. Estava ventando muito e também fazia muito frio. Começamos a trilha e era muito difícil escolher um lugar para olhar: a imponência do Maciço Paine, a vegetação, as tonalidades de azul do Lago Nordernskjöld, tudo isso acompanhado pelo som do vento e dos nossos passos, um momento para aproveitar, refletir e ver o quanto somos pequenos diante da natureza, uma verdadeira meditação. No caminho vimos ossadas de guanaco, aliás, segundo o vídeo que vimos no CONAF no dia anterior, estávamos numa área de puma, e isso explica a ossada e a Bete disse que ouviu um miado, o que a deixou um pouco assustada….será?!?! Também percebemos que estávamos numa área atingida pelo incêndio de 2012 pois tinham várias árvores esbranquiçadas com os galhos pretos, queimados.

Chile - Parque Nacional Torres del Paine - Trilha ao Mirador Los Cuernos
Trilha ao Mirador Los Cuernos

Neste momento já não fazia mais tanto frio pois já estávamos um pouco distantes do Salto Grande. Numa parte arborizada da trilha, ficamos rodeados de pássaros que cantavam brindando o novo dia. Após aproximadamente 1:30hs de caminhada, chegamos ao fim da trilha, no Mirador Los Cuernos. Que visual impressionante !!! Aquele azul das águas do degelo no Lago Nordernskjöld, a proximidade do Maciço Paine, com suas montanhas com neve e gelo permanente. Toda aquela grandiosidade, o silêncio, a paz e a satisfação de estarmos naquele lugar, momento de sentar e simplesmente aproveitar e refletir.

Chile - Parque Nacional Torres del Paine - Mirador Los Cuernos
Mirador Los Cuernos

Depois de aproximadamente uma hora, começamos nosso retorno ao ponto de partida, quando encontramos um casal de belgas, e percebemos que o homem estava carregando uma grande mochila nas costas e que dentro dela tinha um bebê de 1 ano, todo empacotado, de touca e óculos escuros, uma figurinha !!! Voltamos e tiramos mais fotos no Salto Grande antes de pegarmos o carro rumo ao nosso passeio da tarde.

Chile - Parque Nacional Torres del Paine - Salto Grande
Salto Grande

As estradas do PN Torres del Paine, apesar do rípio, são muito boas, mas o trecho que vai para o Lago Grey é terrível, são 18 km de rípio pesado. Chegando lá, entramos na recepção da Hostería Lago Grey e ficamos no deck aproveitando um pouco do sol e do visual, já que dali era possível ver os icebergs flutuando bem próximo à “orla”, isso mesmo, o lago parece uma “praia” com uma extensa faixa de “areia”, com icebergs bem próximos. Ficamos conversando com um casal de chilenos muito simpáticos. Quando chegou a hora do passeio, tivemos que pegar o carro e estacionar próximo daquela ponte pênsil que conhecemos no dia anterior. Atravessamos o Rio Grey, pela ponte só passavam 6 pessoas por vez, e ainda percorremos uns 20 minutos de uma trilha bem arborizada até a “praia” de icebergs, o Lago Grey, onde era possível vê-los bem de pertinho.

Chile - Parque Nacional Torres del Paine - Lago Grey
Lago Grey

Nem conto a aventura para pegar o barco. Como o lago está regredindo, assim como o glaciar, o barco não chegava até o píer, então era necessário pegar um bote até o barco. Fomos na terceira viagem, e enquanto esperávamos fomos presenteados com um sobrevoo de uma família de condores, enormes, poucos metros acima de nossas cabeças, que tinham um ninho na montanha bem ao lado do pier, onde formamos a fila de espera pelo barco. Iniciamos a navegação no Lago Grey com muitos icebergs, de várias formas e tamanhos, azuis, lindos e imponentes.

Quando chegamos no Glaciar Grey, um dos mais belos que conhecemos, vimos que o glaciar é dividido em 3 partes, duas delas por La Isla, uma pequena ilha. Ele é enorme e o barco chegou bem perto que quase dava para colocar a mão. No início ficamos na parte de cima do barco mas depois descemos e ficamos na proa. É até difícil descrever, os tons de azul, do céu e do Lago Grey, e as montanhas ao fundo tornam a paisagem deslumbrante. O passeio durou aproximadamente 3 horas e é realmente inesquecível !!! Durante a navegação bebemos muitos piscos sour, com gelo da geleira, para aquecer a alma.

Chile - Parque Nacional Torres del Paine - Lago e Glaciar Grey
Lago e Glaciar Grey

Regressamos ao ponto de partida e quase anoitecendo voltamos para o nosso hotel. Ao passarmos pela Portaria Rio Serrano, perguntamos se a estrada estaria aberta no dia seguinte, e a resposta foi positiva. Mas ao passarmos pela estrada, vimos a placa sinalizando que ela continuava fechada. Isto nos deixou um pouco preocupados pois só tínhamos 1/4 de tanque para voltarmos para Puerto Natales, onde fica o posto de gasolina mais próximo. Deixamos as dúvidas de lado para aproveitarmos a nossa última noite no parque com um delicioso jantar.

4º dia: Saída de Torres del Paine (pela Portaria Laguna Amarga) e Cueva del Milodón

Acordamos bem cedo, colocamos as malas no carro e partimos do PN Torres del Paine rumo à Punta Arenas. Antes de pegarmos a estrada, resolvemos parar no mirante para apreciar e registrar a bela vista panorâmica da Villa Serrano.

Chile - Parque Nacional Torres del Paine - Villa Serrano
Villa Serrano

Voltamos para o carro e seguimos o nosso caminho. Para nossa surpresa a estrada continuava fechada e tínhamos um problema para resolver. Como chegar em Puerto Natales se tínhamos apenas 1/4 do tanque de gasolina. No parque não tem posto para vender e tínhamos que percorrer quase todo o parque e mais 150 km para chegar lá. Lembramos que um funcionário do hotel nos disse que havia um “mercado negro” próximo dali em que poderíamos conseguir um pouco de gasolina e foi o que fizemos.

Chegando no local, perguntamos se poderiam conseguir combustível para seguirmos viagem. Uma pessoa  nos orientou a aguardar no carro que alguém nos procuraria. Logo depois apareceu um homem com dois galões de 5 litros. Já que tínhamos que atravessar o PN Torres del Paine para sair por outra portaria (a mais próximo era a Portaria Sarmiento), resolvemos comprar os 10 litros, que nos foi vendido pelo dobro do preço, e aproveitar mais aquele dia no parque. Enquanto o homem enchia nosso tanque, conhecemos um brasileiro que assistia o desenrolar do nosso caso. Ele trabalhava numa universidade e seu trabalho era, junto com sua equipe, escalar as montanhas para fazer um estudo sobre a atuação do gelo no solo da região. Sensacional !!!

Carro abastecido, vamos aproveitar o dia de graça que ganhamos pelo fato da estrada estar fechada. Como não tínhamos ido até a Laguna Amarga, fomos até lá de onde se tem uma das vistas mais espetaculares do Maciço Paine. Atravessamos o parque nos despedindo dos Lagos Pehoé e Nordernskjöld, do Salto Grande e de outras atrações do PN Torres del Paine.

Chile - Parque Nacional Torres del Paine - Mirador del Nordernskjold
Mirador del Nordernskjöld

Após muitos guanacos pelo caminho, chegamos na Portaria Laguna Amarga. Saindo por lá logo chegamos na Laguna Amarga. Ali pudemos admirar um imenso espelho d’água onde reflete o Maciço Paine com suas torres imponentes. Pena que o dia estava nublado e as torres cobertas por nuvens densas. A laguna tem várias aves, como flamingos, patos, cisnes, entre outros. Vale ressaltar a sorte que tivemos: ao chegarmos, presenciamos o espelho d’água; mas 10 minutos depois começou a ventar e o espelho se desfez por conta das marolas formadas pelo vento.

Chile - Parque Nacional Torres del Paine - Laguna Amarga
Laguna Amarga

Seguimos na estrada de rípio em direção à Puerto Natales, quando de repente pedi para a Bete parar o carro.  Ao lado da estrada, do lado de fora do PN Torres del Paine, um cachorro-do-mato devorava um enorme guanaco. Paramos o carro no meio da estrada, de portas abertas, e ficamos observando, fotografando e filmando. Estava me sentindo no Animal Planet !!! Ficamos ali, chegando cada vez mais perto, enquanto o cachorro-do-mato, desconfiado, continuou fazendo seu banquete. Observamos que um carcará aguardava sua vez, num monte logo ao lado. Ao longe, um outro cachorro-do-mato corria de um lado para outro mas não chegou para dividir o banquete. Depois de presenciar esta cena tão esperada e inesquecível, seguimos pela estrada observando guanacos, carcarás, ovelhas, cavalos, entre outros animais.

Chile - Parque Nacional Torres del Paine
Parque Nacional Torres del Paine

Antes de chegarmos em Puerto Natales, ainda paramos em dois lugares. Primeiro na Cafeteria Ovejero, localizada próxima da divisa com a Argentina numa bifurcação que segue para El Calafate, a “Terra das Geleiras”. Lá compramos algumas coisas para o restante da viagem. Mais adiante paramos na Cueva del Milodón, localizada a 24 km de Puerto Natales. O Milodón, mamífero herbívoro com o dobro do tamanho do homem, habitou este lugar há 5000 anos junto de outros animais pré-históricos. Lá fizemos uma pequena trilha até a caverna do Milodón, caminhamos em seu interior e voltamos.

Chile - Estrada Torres del Paine-Puerto Natales - Cueva del Milodon
Estrada Torres del Paine-Puerto Natales – Cueva del Milodón

Passamos em Puerto Natales para abastecer o carro, num posto Petrobras, e fomos ao hotel onde tínhamos ficado. A ideia era tentar dormir lá, já que a viagem tinha sido cansativa; mas infelizmente não conseguimos cancelar a reserva do nosso hotel de Punta Arenas. Então aproveitamos mais um pouco, fizemos um lanche e voltamos para a estrada para irmos até Punta Arenas.

Chile - Estrada Torres del Paine-Puerto Natales - Fronteira com Argentina
Estrada Torres del Paine-Puerto Natales – Fronteira com Argentina

Dicas / Informações

  • A estrutura do PN Torres del Paine é de primeiro mundo, com hotéis, acampamentos e refúgios de primeira linha.
  • Torres del Paine é conhecido por suas trilhas. Existem trilhas de uma hora e de até 10 dias.
  • Para ver o mapa do PN Torres del Paine, clique aqui.
  • Carcará é um falconídeo cuja envergadura chega a 123 cm e o comprimento varia entre 50 e 60 cm.
  • Guanaco é um camelídeo nativo da América do Sul, cuja altura varia entre 107 e 122 cm. São encontrados no planalto do Peru, Bolívia, Equador, Colômbia, Chile e Argentina.
  • Em 2012, houve um incêndio em 33 mil hectares do PN Torres del Paine, queimando a maior parte das árvores.
  • Achamos o Hotel Rio Serrano melhor que a Hostería Lago Grey.

Links úteis

Locais Informações (valores de março/2013)
PN Torres del Paine Ingresso: 18.000 pesos chilenos (válido por 3 dias consecutivos)
Lago Grey Preço: US$ 99,00

3 thoughts on “Torres del Paine

  1. Quando vocês estiveram em Torres Del Paine? Eu irei para lá no início de abril/2017. Vou alugar um carro em Punta Arenas e me hospedar na Hostería Pehoe. Tenho preocupação com o combustível já que vou ficar por uma semana dentro do parque. Você poderia me indicar o local exato em que conseguiu comprar a gasolina e o contato? Grato.

    1. Oi Osvaldo. Fomos em TDP em março de 2013. Não lembro o local exato que compramos gasolina mas era próximo ao hotel que ficamos (Rio Serrano). Mas aconselho que você leve um galão grande de gasolina pois lembro que não foi tão tranquilo comprar. Um abraço e aproveite que é um lugar maravilhoso.

Deixe uma resposta