Bariloche

Como chegamos

Cruce de Lagos de Puerto Varas até Bariloche, pernoitando uma noite em Peulla


Onde ficamos

Grand Hotel Bariloche – Mitre, 408 – San Carlos de Bariloche – Patagônia Argentina
Faça sua reserva ou envie um email

Período: 5 dias / 4 noites (março/abril de 2006)

Nossa avaliação: Razoável. Apesar de um bom quarto, os serviços deixaram a desejar (cheiro de cigarro). Boa localização.


O que fizemos

1º dia: Chegada à Bariloche

Após uma chegada um pouco conturbada em Puerto Pañuelo, onde nossas malas ficaram jogadas num canto até acharmos, chegamos ao hotel e passamos por outro estresse: a Bete não gostou do cheiro de cigarro no quarto e queria trocar de hotel de qualquer forma; fizemos uma reclamação com a agência que ficou de arrumar um outro hotel no dia seguinte. Estávamos bastante cansados mas saímos para jantar no restaurante Familia Weiss, com direito ao show de tango e também a pagar um grande “mico”: a dançarina de tango me tirou para dançar no meio do salão; sorte minha que deixamos a câmera e a filmadora no hotel, ou seja, mico sem registros.

2º dia: Passeio por Bariloche

Saímos para caminhar pela cidade saindo do hotel e indo até Lago Nahuel Huapi. Passamos pela Catedral Nuestra Señora del Nahuel Huapi, que tem um estilo neogótico com reminiscências francesas e é o principal templo católico da cidade. Depois de mais alguns minutos caminhando, chegamos ao Centro Cívico. Essa agitada praça de Bariloche é o ponto de partida para os passeios pela região. Fundada em 1940, é considerada o primeiro centro cívico da Argentina. Com características arquitetônicas emprestadas de regiões montanhosas da Europa, essa bela praça concentra edifícios governamentais como os correios, a polícia local, museus e a prefeitura.

Argentina - Bariloche - Centro Civico
Centro Cívico

Perto da hora do almoço decidimos subir o Cerro Otto onde encontra-se um restaurante giratório que oferece uma magnífica vista 360º de Bariloche. Chegando lá encontramos um casal que estava fazendo a mesma viagem e um outro casal de gaúchos e aproveitamos para almoçar juntos. O restaurante gira bem lentamente e a sensação de ter uma nova paisagem a todo momento é interessante.

Argentina - Bariloche - Vista Cerro Otto
Vista Cerro Otto

À noite, saímos para fazer algumas compras e conhecer mais um pouco os arredores do hotel. Aproveitamos para jantar no Familia Weiss novamente.

3º dia: Circuito Chico e Cerro Catedral

Pela manhã, fizemos um passeio chamado Circuito Chico. Este passeio nos levou à uma fábrica de produtos de rosa mosqueta, à Capela San Eduardo, passou pelo Puerto Pañuelo até chegarmos num local de onde avistávamos o Hotel Llao Llao, um hotel tradicional e muito conceituado da região.

Argentina - Bariloche - Hotel Llao Llao
Hotel Llao Llao

Continuando o passeio fomos ao Cerro Lopez, num lugar chamado Vista Panorâmica, onde desfrutamos de uma bela paisagem dos lagos Moreno e Nahuel Huapi. Antes do almoço nos levaram ao Cerro Campanario onde, durante e após a subida de teleférico, se tem uma bela vista dos lagos e montanhas de Bariloche.

Argentina - Bariloche - Vista Lagos Moreno e Nahuel Huapi
Vista Lagos Moreno e Nahuel Huapi
Argentina - Bariloche - Vista Cerro Campanario
Vista Cerro Campanario

Para a parte da tarde, reservamos um passeio que nos levou ao mais famoso cerro de Bariloche, o Cerro Catedral, fama esta devida às diversas pistas de esqui que ali se encontram. Pegamos o teleférico e constatamos que precisávamos retornar à Bariloche numa outra época pois havia muito pouca neve. Mesmo assim aproveitamos para tirar fotos da bela paisagem do Cerro Catedral Alta Patagônia, como é chamado, do Clube Andino de Bariloche e das belas árvores multicoloridas existentes no local, chamadas “las lengas”.

Argentina - Bariloche - Cerro Catedral
Cerro Catedral
Argentina - Bariloche - Vila Catedral
Vila Catedral

À noite, saímos para jantar no Quilmes, um belo restaurante situado numa esquina movimentada de Bariloche. Pedimos uma parrilhada com direito a tudo. Aproveitamos para passar nas diversas casas de chocolate da cidade.

4º dia: Cerro Tronador

Para este dia, contratamos um passeio ao Cerro Tronador. Começamos este passeio adentrando o Parque Nacional Nahuel Huapi para visitar o Lago das 7 Cores. Neste lago tem-se uma vista para o Cerros Crista de Galo e Chifre de Diabo (“Cornos del Diablo”). Durante a caminhada avistamos um condor voando perto das montanhas. Retornamos ao transporte e fomos ao Lago Mascardi. Chegando lá, caminhamos perto lago e depois fomos ao mirante de onde tem-se uma bela vista do lago e da Ilha Corazón. Depois disso, partimos direto para o Cerro Tronador.

Argentina - Parque Nacional Nahuel Huapi - Lago das 7 Cores
Parque Nacional Nahuel Huapi – Lago das 7 Cores

O Cerro Tronador fica perto da fronteira com o Chile e a 90 km de Bariloche. O Cerro Tronador tem 3 picos: Argentino, Chileno e Internacional. Antes de irmos ver as geleiras do Cerro Tronador, paramos num lugar que tinha uma bela vista do mesmo, e ali almoçamos.

Argentina - Parque Nacional Nahuel Huapi - Cerro Tronador
Parque Nacional Nahuel Huapi – Cerro Tronador

Após o almoço fomos ao Cerro Tronador. Chegando lá, fomos direto para o “Ventisquero Negro” que é uma das poucas “geleiras negras” do mundo. Paramos para apreciar aquele lugar belo e inóspito. A guia, que era uma senhora com a cabeça bem grisalha, comentou que sua mãe dizia que ali, onde hoje temos um rio com pedras de gelo negro descendo, antigamente tínhamos gelo com mais de 2 metros de altura. Ela pediu que fizéssemos silêncio para escutar o barulho das avalanches do Cerro Tronador. Foi um momento inesquecível !!! Para finalizar o passeio fomos à base do Cerro Tronador, onde caminhamos por riachos e cascatas oriundas do degelo.

Argentina - Parque Nacional Nahuel Huapi - Cerro Tronador - El Ventisqueiro Negro
Parque Nacional Nahuel Huapi – Cerro Tronador – El Ventisqueiro Negro

Na nossa última noite na cidade, saímos para fazer as últimas compras e aproveitamos para jantar num excelente restaurante chamado El Boliche de Alberto, que é considerado por muitos a melhor parrilha de Bariloche.

5º dia: Fim da estadia

Saída de Bariloche para Buenos Aires


Dicas / Informações

  • Se quiser fazer alguma atividade na neve não visite Bariloche nesta época pois tem muito pouca neve nos Cerros.
  • Não deixe de fazer o passeio ao Cerro Tronador.
  • O Circuito Chico estava incluído no pacote.

Links úteis

Locais Informações (valores de março/2006)
Cerro Otto Ingresso: 18 pesos (teleférico)
Cerro Campanário Ingresso: 15 pesos (teleférico)
Cerro Catedral Ingresso: 36 pesos
Cerro Tronador Preço: 56 pesos

Deixe uma resposta