San Pedro de Atacama

Como chegamos

Saímos de casa de madrugada para pegarmos um voo do Rio de Janeiro para São Paulo com saída às 4:50 am. Em seguida pegamos um voo de São Paulo para Santiago às 8:30 am. Chegamos em Santiago e faltavam menos de uma hora para o nosso voo sair e ainda tínhamos que passar pela imigração e fazer o check-in. E deu tempo. Pegamos o voo para Calama às 14 pm. Depois de 3:30 hs de voo, com escala em Antofagasta, chegamos à Calama, onde pegamos uma van às 17:30 pm que nos levou à San Pedro de Atacama, chegando às 18:30 pm.


Onde ficamos

Parina Atacama Apart Hotel – Pasaje Lasana, 660 – Sector Punta de Diamante – San Pedro de Atacama – Chile
Faça sua reserva ou envie um email ou visite o site

Período: 7 dias / 6 noites (março/abril de 2011)

Nossa avaliação: Hotel muito bom. Quarto muito bom, pequeno mas com boa calefação, TV, frigobar, wi-fi (na varanda) e banheiro privativo. Excelente serviço (quando precisávamos sair cedo deixavam o café no quarto). A localização era boa mas um pouco distante do centro levando em consideração o calor da região.


O que fizemos

1º dia: Chegada à San Pedro de Atacama

Como chegamos no início da noite, não deu tempo para reservarmos os passeios que faríamos no Atacama. Por isso, fomos para o hotel, deixamos nossas malas, tomamos um bom banho e saímos para jantar. Fomos até a praça principal, e única, da cidade e jantamos no restaurante La Plaza, restaurante este em que faríamos praticamente todas as refeições na cidade, pois era um dos poucos que aceitavam cartão.

2º dia: Vale de la Luna e Vale de la Muerte

Acordamos bem cedo e fomos agendar os passeios que faríamos no Atacama. Perto da principal praça de San Pedro de Atacama, encontramos uma agência em que reservamos a maioria dos nossos passeios, a Grado 10. Depois que reservamos, fomos dar uma volta pela cidade. Ao redor da praça existem algumas construções, entre elas duas se destacam. A Igreja de San Pedro, do início do século XVI, que é uma bonita construção legada pelos antigos colonizadores espanhóis, o Centro Artesanal de San Pedro do Atacama e o Museu Arqueológico Gustavo Le Paige que possui uma coleção de peças de cerâmica, fragmentos de tecido, múmias e material arqueológico descobertos na área local, representando o povo atacamenho e sua cultura. Ao lado do museu existe um semáforo que indica a intensidade dos raios ultravioletas na região, entre baixo (verde), médio (amarelo) , alto (laranja), perigoso (vermelho) e extremo (roxo), e naquele dia estava verde.

Chile - San Pedro de Atacama - Igreja de San Pedro
Igreja de San Pedro
Chile - San Pedro de Atacama - Museu Arqueologico Gustavo Le Paige
Museu Arqueológico Gustavo Le Paige
Chile - San Pedro de Atacama - Feira de Artesanato
Feira de Artesanato

Depois do almoço, no La Plaza, fomos ao nosso primeiro passeio pelo Atacama: Valle de la Luna e Valle de la Muerte. Na hora marcada, estávamos em frente à Grado 10, que fica próxima à praça. Aguardamos todos chegarem, éramos  em 7 pessoas, e partimos. No caminho, o nosso guia, que era um cara muito gente boa, perguntou se poderíamos fazer um tour diferente do normal, que foi logo aceito pela turma. Chegamos no Valle de la Luna e percorremos alguns quilômetros até chegarmos no ponto de onde começamos a caminhada. Foram aproximadamente 1 km na areia fofa debaixo de um sol violento até o ponto de subida.

Chile - Atacama - Vale de la Luna - Vulcao Licancabur
Vale de la Luna – Vulcão Licancabur

A subida, de aproximadamente 100 metros, foi relativamente tranquila, comparada com a areia fofa, e quando chegamos lá em cima tivemos a recompensa: um visual panorâmico do vale com suas areias de diversas tonalidades e ao fundo os vulcões e picos nevados. Andamos por mais uns 500 metros por uma trilha estreita e pedregosa até chegarmos num ponto panorâmico em que tínhamos a visão do Anfiteatro e da Grande Duna. Este vale é uma pequena depressão de 500 metros de diâmetro, com solo salino e rodeado por morros com formações exóticas lembrando o solo lunar. Simplesmente magnífico !!!

Chile - Atacama - Vale de la Luna
Vale de la Luna
Chile - Atacama - Vale de la Luna
Vale de la Luna

Continuando nosso passeio, conhecemos uma das atrações do lugar que são As Três Marias, esculturas naturais cultuadas pelos atacamenhos, que segundo a lenda se assemelham com mulheres. Na minha humilde opinião, uma até parecia uma mulher com uma criança, mas os outros dois pareciam mais um coelho e um sapo. Nesta região existe uma grande quantidade de cristais de sal, tendo algumas cavernas e, no passado, foi uma mina de sal.

Chile - Atacama - Vale de la Luna - As Tres Marias
Vale de la Luna – As Três Marias

Seguimos e fomos para o Valle de la Muerte, também conhecido como Valle de Marte. Logo na descida do caminhão, o guia nos deu uma explicação sobre a origem geológica daquele cânion, que é a entrada do vale e que é formado por um terreno árido, alaranjado e irregular, e grandes dunas de areia. Um visual muito bonito ! Estava ventando muito e não ficamos muito tempo pois ainda tínhamos que ir para o ponto de observação do pôr do sol.

Chile - Atacama - Vale de la Muerte - Vulcao Licancabur
Vale de la Muerte – Vulcão Licancabur

Para finalizar nosso passeio deste dia, percorremos mais alguns quilômetros e paramos num ponto panorâmico no Valle de la Luna para ver o pôr do sol. Deste ponto pode-se ver as Cordilheiras dos Andes, do Sal e do Domeyko. Conforme o sol ia baixando, o céu ficava cada vez mais colorido, do amarelo ao lilás, numa paisagem de tirar o fôlego. Terminamos o dia em cima do caminhão naquele cenário de outro planeta. Inesquecível !!!

Chile - Atacama - Vale de la Luna
Vale de la Luna

3º dia: Gêiseres del Tatio, Rio Putana e Pueblo Machuca

No dia anterior, pedimos à responsável pelo hotel para deixar o café no quarto bem cedo, às 3:00 am, pois às 4:00 am o guia da Grado 10 estaria na porta do nosso hotel para pegar-nos para o passeio deste dia. Pontualmente às 4:00 am, o guia passou no hotel pois fomos os primeiros. No caminho, ainda bem escuro, todos estavam bem calados, acho que por causa do sono. Chegamos em Gêiseres del Tatio às 6:00 am, ainda escuro, e quando começamos a caminhada fazia um frio congelante de -6 graus. Não lembro de ter passado tanto frio, nem quando fomos à Patagônia.

Chile - Atacama - Geiseres del Tatio
Gêiseres del Tatio

Esse campo geotérmico, a 4.300 metros de altitude aos pés do Vulcão Tatio, é uma das principais atrações do país. Todos os dias, ao amanhecer, afloram violentos jatos de vapor dos gêiseres. O paisagem formada pelo colorido do solo, o céu limpo e as colunas de até 6 metros de vapor é de rara beleza. Fizemos a caminhada pelas trilhas sinalizadas, sempre respeitando pois é muito perigoso caminhar entre os poços, devido ao repentino afloramento dos jatos de água quente. O dia foi amanhecendo, a temperatura foi esquentando e o passeio ficando cada vez mais agradável.

Chile - Atacama - Geiseres del Tatio
Gêiseres del Tatio
Chile - Atacama - Geiseres del Tatio
Gêiseres del Tatio

Ao final da trilha, retornamos ao caminhão e fomos recepcionados com um café da manhã no meio dos gêiseres. Apesar de simples, o café estava bem servido e gostoso. Não é sempre que tomamos um café da manhã num lugar tão diferente e inóspito. Simplesmente inesquecível !

Chile - Atacama - Geiseres del Tatio
Gêiseres del Tatio

Saímos dos gêiseres e passamos pelo Valle do Rio Putana. Este vale tem uma beleza muito peculiar pois estava praticamente seco, pelo menos nesta época, mas que mistura uma diversidade de cores, como o verde da vegetação, as diversas tonalidades de marrom das montanhas, tudo isso emoldurado por pequenos espelhos d’água e pelas montanhas e vulcões nevados ao fundo. Muito bonito !

Chile - Atacama - Rio Putana
Rio Putana

O caminho de volta para San Pedro de Atacama continuou nos proporcionando algumas surpresas. Num determinado momento, nos deparamos com um grupo de vicunhas pastando livremente na encosta de um morro. Mais alguns quilômetros e chegamos em Pueblo Machuca. Este pequeno povoado, que na época tinha apenas 6 famílias, fica no meio do nada e tem pequenas casas de pedra com telhado de palha e que são alimentadas por placas fotovoltaicas, para captura de energia solar, aliás muito apropriado para o local. No alto do morro tinha uma igrejinha muito charmosa de onde se tinha uma bela vista do povoado.

Chile - Atacama - Pueblo Machuca
Pueblo Machuca

4º dia:  Salar do Atacama, Pueblo Socaire, Lagunas Altiplânicas, Pueblo Toconao, Laguna Cejar, Ojos del Salar e Laguna Tebenquiche

Neste dia acordamos bem cedo e às 6:00 am já estávamos na Laguna Chaxa. Esta laguna, a 62 km de San Pedro de Atacama, é protegida pela Reserva Nacional dos Flamingos e está situada no Salar do Atacama, o terceiro maior salar do mundo (atrás de Uyuni, na Bolívia, e Salt Lake City, nos EUA). Suas margens são cobertas por sal cristalizado que se acumula pela evaporação das águas salinas subterrâneas, as mesmas que ajudam a formar a lagoa. Segundo o guia, a camada de sal chega a 1,5 km de profundidade.

Ainda estava bem frio quando começamos a caminhada por uma trilha ao redor do lago. Aqui é um ótimo lugar para observar flamingos, com o bico dentro da água procurando comida ou em seu voo majestoso, e as gaivotas andinas. Depois de aproximadamente uma hora, retornamos à entrada do salar para uma explicação sobre a geologia, fauna e flora do local e antes de continuarmos nosso passeio, tomamos um delicioso café da manhã.

Chile - Atacama - Reserva Nacional Los Flamencos - Laguna Chaxa
Reserva Nacional Los Flamencos – Laguna Chaxa
Chile - Atacama - Reserva Nacional Los Flamencos - Laguna Chaxa
Reserva Nacional Los Flamencos – Laguna Chaxa

Pegamos a estrada, subindo à quase 3000 metros de altitude, e logo paramos num pequeno povoado atacamenho, Pueblo Socaire, conhecido por suas casas sem janelas e sua igreja do período colonial, feita de barro e argila, patrimônio nacional.

Chile - Atacama - Pueblo Socaire
Pueblo Socaire

Para finalizar o passeio da manhã, seguimos para conhecer as Lagunas Altiplânicas, ainda dentro da Reserva Nacional dos Flamingos. Depois de percorrermos 18 km e estando a mais de 4000 metros de altitude, chegamos na Laguna Miscanti. Que lugar é esse !!!! Um lago de azul intenso, formando um grande espelho, emoldurado pelo Vulcão Miscanti e mais outros vulcões e montanhas nevadas, sem falar a vegetação rasteira com um tom dourado. Paramos por alguns minutos para admirar aquele beleza exótica.

Chile - Atacama - Lagunas Altiplanicas - Laguna e Vulcao Miscanti
Lagunas Altiplânicas – Laguna e Vulcão Miscanti

O nosso guia pediu que subíssemos no caminhão para irmos até a próxima atração. Estava frio, mas de cima do caminhão tínhamos uma visão ainda melhor daquele lugar. Estávamos ainda olhando para a Laguna e o Vulcão Miscanti quando, alguns metros depois, subimos uma pequena elevação montanhosa e nos deparamos com outra cena de tirar o fôlego. A belíssima Laguna Miñiques, com o Vulcão Miñiques ao fundo, formando um grande espelho d’água e refletindo as montanhas ao seu redor. Simplesmente incrível !!!

Chile - Atacama - Lagunas Altiplanicas - Laguna e Vulcao Miniques
Lagunas Altiplânicas – Laguna e Vulcão Miñiques

Saímos da reserva e fomos conhecer mais um povoado atacamenho, Pueblo Toconao. Este povoado, a 38 km de San Pedro, tem uma arquitetura colonial típica e é conhecido pelo seu artesanato. Paramos numa pequena e bela praça,  onde visitamos sua igreja e tiramos fotos com cactus gigante.

Chile - Atacama - Pueblo Toconao
Pueblo Toconao

Após o almoço, saímos para mais um passeio com o intuito de conhecermos mais deste lugar tão surpreendente. Começamos pela Laguna Cejar, a cerca de 18 km de San Pedro, uma lagoa azul esverdeada de água límpida e refrescante para mergulhar. E foi o que fizemos. Parecia a “praia do Atacama”…tiramos nossa roupa e mergulhamos naquele lugar tão diferente, cercado por vulcões e montanhas nevadas. Vale citar que por causa da alta concentração de sal na água, as pessoas não afundam e que ao sairmos da água tivemos que tomar um banho de “lava a jato” para tirar o sal.

Chile - Atacama - Laguna Cejar
Laguna Cejar

Nem precisava ter tirado o sal, já que depois fomos conhecer os Ojos del Salar, que são dois buracos, “dois olhos”, um próximo ao outro, que formam dois lagos de água doce no meio do deserto. Como pareciam bem refrescantes, aproveitei para mergulhar num deles…ou seja…mergulhar não…saltar, pois do lugar que estávamos para a água tinha uma altura de uns cinco metros.

Chile - Atacama - Ojos del Salar
Ojos del Salar

Para fechar este dia de tantas atividades e lugares lindos e inesquecíveis, fomos até a Laguna Tebenquiche. Nesta época do ano, esta laguna está praticamente seca expondo todo o seu sal. Apenas no período de chuva, que dura 3 dias no ano, é que a laguna fica cheia de água. Ficamos caminhando pela laguna seca, o sol se pondo, o céu misturando tons do amarelo ao laranja, e a Cordilheira dos Andes, com seus vulcões e montanhas nevadas, misturando tons do marrom ao vermelho. Ao pôr do sol, fizemos um brinde com coquetel de pisco sour. Um dia inesquecível !!!

Chile - Atacama - Laguna Tebenquiche
Laguna Tebenquiche
Chile - Atacama - Laguna Tebenquiche
Laguna Tebenquiche

5º dia: Passeio de bicicleta até a Quebrada del Diablo e Tour Astronômico

Resolvemos que deixaríamos este dia livre para conhecermos a cidade e lugares mais próximos de San Pedro de Atacama. Tínhamos visto que perto da praça existia uma loja de aluguel de bicicletas e foi o que fizemos. Alugamos duas bicicletas para andar pela cidade, mas o cara da loja nos deu um mapa que ensinava como ir até a Quebrada del Diablo, que fica aproximadamente 9 km de San Pedro de Atacama. Antes de pegarmos a estrada, ele reforçou para que não saíssemos deste caminho pois poderíamos nos perder já que tudo é muito parecido no deserto. O caminho é bem interessante e não tão fácil assim, pois é uma leve subida, debaixo de um sol escaldante, em certa parte o terreno fica um pouco fofo e tem que cruzar alguns riachos até chegarmos lá.

Chile - Atacama - Passeio de bicicleta ate a Quebrada del Diablo
Passeio de bicicleta até a Quebrada del Diablo

Chegando lá, o esforço é recompensado. Atravessamos o último riacho e a trilha seguia por dentro de formações montanhosas que formam labirintos e pequenas cavernas que com a luz do sol ficam avermelhados. Por duas vezes tivemos que erguer as bicicletas sobre as cabeças para continuar na trilha. Fomos até o final, tiramos algumas fotos e retornamos à entrada do labirinto. Ali procuramos uma sombra para descansar, nos refrescamos no riacho e depois retornamos para San Pedro de Atacama. Saímos de San Pedro de Atacama próximo das 10:00am e retornamos às 15:00pm. Para quem gosta, achamos que vale muito a pena fazer esse passeio pois é contato total com o ambiente e a paisagem do Deserto do Atacama.

Chile - Atacama - Quebrada del Diablo
Quebrada del Diablo
Chile - Atacama - Quebrada del Diablo
Quebrada del Diablo

Ao retornarmos para San Pedro de Atacama e ficamos na praça descansando debaixo de uma enorme sombra. Compramos o primeiro sorvete, o segundo, e foi aí que decidimos almoçar somente sorvete, foram uns três ou quatro. Depois fomos caminhar pela Calle Caracoles, a rua principal, e aproveitamos para fazer algumas compras. Em seguida, voltamos para o hotel pois tínhamos reservado um passeio para altas horas da madrugada.

Quando chegamos à San Pedro de Atacama, sabíamos que existiam alguns observatórios na região e que gostaríamos de visitar. Chegando lá, encontramos apenas uma agência que fazia alguma coisa parecida e não pensamos duas vezes em contratar. O passeio se chama Tour Astronômico ou Tour de las Estrellas ou Observatório de Cielo, onde podíamos escolher o idioma e escolhemos o espanhol. A agência Space orientou que o ônibus sairia às 23:00pm da interseção da Calle Caracoles com a Calle Domingo Attienza. Na hora marcada estávamos lá e partimos para o passeio. Aproximadamente 7 km depois, avistamos uma pequena luz de uma casa no meio do nada, e era pra lá que íamos. Nesta casa moram um casal responsável pelas apresentações, uma chilena e um francês.

Este passeio resume-se em duas palestras:  uma para conhecimento e observação do céu, onde vimos aa Via Láctea, constelações, nebulosas, estrelas, galáxias, etc., que é dada pela chilena. Achei fascinante ela falando e apontando para o céu com um laser e mostrando as constelações (naquela época do ano estavam visíveis de Touro a Sagitário), as nebulosas e estrelas mais famosas, inclusive ela fez uma observação de que o céu dali era igual ao do Rio de Janeiro, pois as duas cidades tem a “mesma” latitude.

Na outra palestra começamos pela observação do céu  nos 9 telescópios dispostos no local, em que o francês, em certo momento, pegava nossas câmeras e acoplava aos telescópios para tirarmos fotos, e numa dessas consegui registrar Saturno. Em seguida, entramos na casa onde ele fez uma palestra sobre física quântica e criação das estrelas, e que é acompanhada de um delicioso chocolate quente para aquecer, pois naquele hora a temperatura estava abaixo de zero. Um passeio fascinante e inesquecível !!!

Chile - Atacama - Tour Astronomico
Tour Astronômico
Chile - Atacama - Tour Astronomico
Tour Astronômico

6º dia: Salar de Tara

Neste dia acordamos bem cedo e saímos de San Pedro de Atacama às 8:00 hs da manhã em direção ao Salar de Tara. Depois de pegarem todos em seus hotéis e pousadas, andamos por alguns quilômetros até que paramos para tomar um café da manhã no caminho. Estávamos a mais de 3000 metros de altitude e fazia aproximadamente 1 grau, mas o café da manhã e o visual da Reserva Nacional dos Flamingos foi recompensador.

Chile - Atacama - Reserva Nacional Los Flamencos
Reserva Nacional Los Flamencos

Após o café da manhã, continuamos nosso passeio pelo deserto num 4×4, subindo e descendo pequenas dunas de areia e terra até chegarmos no Salar de Pujsa. Este salar está localizado a 83 km de San Pedro e a 4585 metros de altitude. É considerada a seção mais isolada da reserva. Ficamos ali por uns 40 minutos para apreciar a beleza do lugar e também avistar os flamingos no meio do salar.

Chile - Atacama - Reserva Nacional Los Flamencos - Salar de Pujsa
Reserva Nacional Los Flamencos – Salar de Pujsa

Depois paramos num lugar com uma formação rochosa num formato um tanto estranho com um salar ao fundo. Ficamos caminhando, aproveitamos para nos “aliviar” e retornamos ao carro para irmos rumo ao nosso destino principal.

Chile - Atacama - Reserva Nacional Los Flamencos - Salar de Tara
Reserva Nacional Los Flamencos – Salar de Tara

Chegamos no Salar de Tara. Este salar está localizado a 120 km de San Pedro de Atacama e a 4860 metros de altitude. O guia sugeriu que ficássemos perto das Catedrais de Tara e que fôssemos caminhando até o ponto onde almoçamos. É uma linda paisagem, formada por enormes formações rochosas. Ficamos escutando o “canto” dos ventos baterndo contra elas. Almoçamos em frente ao Salar de Tara, no meio das catedrais de pedra, e depois descemos para fotos. Em seguida, voltamos para San Pedro de Atacama.

Chile - Atacama - Reserva Nacional Los Flamencos - Salar de Tara - Catedrais de Pedra
Chile – Atacama – Salar de Tara – Catedrais de Pedra
Chile - Atacama - Reserva Nacional Los Flamencos - Salar de Tara - Catedrais de Pedra
Salar de Tara – Catedrais de Pedra
Chile - Atacama - Reserva Nacional Los Flamencos - Salar de Tara
Salar de Tara

Na nossa última noite em San Pedro de Atacama, fomos jantar no restaurante de sempre, o La Plaza. Depois ficamos assistindo um filme que estava sendo exibido na parede da igreja, ao lado da praça. Todos sentados ao redor, no chão ou nos bancos e cadeiras, num clima bem legal.

7º dia: Fim da estadia

Saída de San Pedro de Atacama para Santiago.


Dicas / Informações

  • O Deserto do Atacama é um dos lugares mais diferentes e surpreendentes que já fomos.
  • O melhor período para visitar o Valle de la Luna é de manhã cedo ou no final da tarde; isto devido ao intenso calor do dia podendo chegar facilmente aos 54°C.
  • Não fomos em Pukara de Quitor. Esta é uma fortaleza do século XII, que fica no alto do morro e proporcionando uma bela vista.
  • Toconao significa lugar de pedras.
  • A única agência que fazia o Tour Astronômico em San Pedro de Atacama era a Space, na Calle Caracoles,166.
  • Recomendo todos os passeios, mas não deixe de fazer o Tour Astronômico.
  • Recomendo a agência Turismo Grado 10 onde fizemos a maioria dos passeios pelo Atacama.

Links úteis

Locais Informações (valores de março/2011)
Tranfer Calama-San Pedro de Atacama Agência: Licancabur
Preço: 8.000 pesos chilenos
Vale de la Luna e Vale de la Muerte Agência: Turismo Grado 10
Preço: 8.000 pesos chilenos
Geiseres del Tatio Agência: Turismo Grado 10
Preço: 20.000 pesos chilenos (mais Rio Putana e Pueblo Machuca)
Salar de Atacama e Lagunas Altiplánicas Agência: Turismo Grado 10
Preço: 30.000 pesos chilenos
Laguna Cejar, Ojos del Salar e Laguna Tebenquiche Agência: Turismo Grado 10
Preço: 15.000 pesos chilenos
Quebrada del diablo Preço: 3.000 pesos chilenos (aluguel de bicicleta)
Tour Astronômico Agência: Space
Preço: 15.000 pesos chilenos
Salar de Tara Agência: Space
Preço: 46.000 pesos chilenos

Deixe uma resposta